Select Menu

Quando o mundo e as pessoas me enchem o saco eu me isolo na minha mente


Mente loca
Mente moderna
Mente que viaja
Mente que pondera
Mente que pensa
Mente que não para
Mente que corre
Mente que não passa
Mente que me enche
Mente que se acha
Mente que me prende
Mente que despacha
Mente que me isola
Mente em que me escondo
Mente que não me define
Mente de bolso
É onde me escondo, é onde me isolo, é onde me encontro... 

 Me ensina a amar como você me ama
 Como posso amar as pessoas como você me ama?
 É impossível.
 Como posso pedir para Deus abençoar aqueles que me perseguem?
 Como que posso amar sem fingimento, aqueles que zombam de mim?
 Como que posso amar verdadeiramente aqueles que traem minha confiança pelo desejo da carne?
 Como não deixar essas coisas consumirem minha mente, meu espirito, minha alma com isso?  Me ensine.
 Como posso orar a oração do pai nosso que estais no céu faça a sua vontade , se a minha vontade é contra a vontade de Deus e a minha verdadeira vontade são os desejos da minha carne clamando por vingança?
 Como que eu posso ser corajoso e leal e defender aqueles que não sabem se defenderem , se estou com inúmeros problemas e ninguém consegue enxergar ?
 Me explica!
 Como que posso defender aqueles que erram, aqueles que abandonaram suas famílias, aqueles que abandonaram seu lares, aqueles que trocaram sua vida espiritual por sua vida carnal?
 Como que eu posso ficar feliz com isso?
Como que eu posso comunicar através do meu coração com palavras de amor e conforto, quando que na verdade eu  já fiz meu prejulgamento e não consigo simplesmente dizer, “aquele que nunca pecou que atire a primeira pedra”?

 Eu mal tenho vontade de ajudar os que eu digo que amo, quanto mais os que não gosto.
 Como que posso ajudar os pobres se mal tenho tempo para aqueles que não são pobres?
 Como posso ajudar os legais se eu odeio os chatos, metidos e impostores?
 Me ensina!
 Como eu posso ser como você, que não tomou partido quando colocaram aquela mulher adultera para ser julgada? Se antes mesmos de saber se as histórias que me contam são verdadeiras ou não, eu já tomo partido na minha mente e coração, sem ao menos analisar através da graça e compaixão.
 Como que eu posso amar os que vivem no mundo, se eu amo mais o mundo do que as pessoas?
 Como eu posso ter uma vida em abundancia se eu desejo a morte todos os momentos que eu escolhe viver no mundo com as coisas do mundo?
  Eu não vou levar nada da terra para meu lar, mas eu quero tudo que a terra pode me oferecer.
  Como que eu posso ser como você, que deixou seu espirito em mim, se eu tenho certeza que várias ações que eu faço, envergonharia meus amigos e minha mãe?
 Agora eu nem consigo imaginar como esse espirito fica, quando eu realizo algumas ações.
 Como que eu posso acreditar que você é a ressureição e a vida, se eu pratico o mau muitas vezes?
 E eu fico imaginando se eu morresse hoje eu  estaria para muito mais , como um afilhado de lucifer do que um filho de Deus.
 Me ensine os Teus caminhos!
 Me ensine como eu posso amar aqueles que me julgam e me perseguem se ao menos levantar uma palavra de ódio para com eles!
 Como que eu posso ser como Você?
 Como que eu posso ser como Você se eu desejo o mal, faço ao mal, desejo muito mais o mal do que o bem?
 Eu não estou falando bem daqueles que não estão comigo, eu estou falando que até mesmo com os que estão comigo eu desejo o mal se eles pisarem no meu pé.
 Você faria isso?
  Eu não consigo intender como Você conseguiu perdoar aquele que te negou, eu não perdoaria , eu não conseguiria perdoar .
 Eu quero ser como Você, mas é difícil.
 Me ensina o caminho que eu tenho que andar para aprender!
 Um pedaço de madeira me salvou,  mas eu não conseguiria carrega-la, para ninguém nesse mundo, e eu não quero isso pra mim.
 Me ensina como amar as pessoas!
 Me ensina a amar cada um que foi salvo por você, me de paciência, me de amor.
  Amor para o próximo como a nós mesmo .
  Se for assim eu não me amo, mas eu quero aprender a amar.
  Quero aprender a aceitar as pessoas quando elas me desapontarem, quando me ferirem com palavras ou atitudes impensadas.
 Eu sei que não vai ser fácil aceitar as pessoas como elas são, eu não me aceitaria, já que eu sou o que mais me conheço.
 O mais difícil é que eu desejo que elas sejam de uma maneira, porém elas teimam em ser como elas querem ser.
 É difícil é muito difícil, mas eu quero aprender a amar como você me ama, principalmente aprender a amar as pessoas , também escutar não apenas com os ouvidos pois para isso só precisamos de disciplina.
 Com tudo eu quero aprender a escutar com a alma com o coração , com a pele , com o olfato e o paladar.
 Isso sim é muito difícil, e só um fez isso até hoje e eu quero ser como Ele.






video do texto

http://www.youtube.com/watch?v=7XcInLAa0wM



Falae ae mutchatchos e mutchatchas, tudo em cima?  Que saudades do blog, amo este espaço, aqui eu que mando e posto o que eu penso... aqui é meu espaço de criação , minha mesa de testes, amo este lugar, depois de tanto tempo agora estou de férias, e quero aproveitar e tentar algo novo.
 Bem... quando estou chateado com alguma coisa, recorro ao meu melhor esconderijo, neste ninguém me acha, ninguém me tira. Me escondo na minha imaginação (risos), por isso vou começar algo talvez até que interessante aqui no blog, vou começar a contar crônicas de histórias fictícias de um mundo diferente, estranho, mas cheio de aventura e mistério, e quem sabe um romance. O nome da série se chama “ A oportunidade” e não tem um roteiro, vou criar a história conforme vou escrevendo mesmo e assim entraremos neste mundo louco.

Então vamos lá!

Crônica 1
 A oportunidade

  Meu nome é Jota e você acaba de entrar em um mundo aparentemente normal, se não fosse claro por uma casa com uma janela um tanto quanto comum, mas na verdade não. Bem... tudo começou quando eu tinha 12 anos e eu e meus pais nos mudamos para um cidade do interior, no começo pra mim até que foi legal pois nunca fui ter amigos mesmo, na verdade não confio em ninguém que não seja meus pais. Nesta nova casa tudo estava belo, o quintal era grande e eu era muito curioso, eu tinha um sonho que era ser um grande explorador, minha mãe nunca me levou  a sério, claro né, quem levaria a sério uma criança que usa óculos e vive se escondendo no quarto.
 Nunca tive amigos de verdade, apenas colegas nos quais nunca pude confiar mas sempre estava ali caso precisassem de um favor, e olha... eles sempre tinham algo a pedir. Um dia meu pai ao sair com o carro da garagem e eu lá dentro comentou que ali seria a grande oportunidade da vida dele pois, haveria uma reunião que poderia melhorar nossa vida. O nome do meu pai é José Carlos, homem trabalhador e que sempre nos amou, mas naquele momento dentro daquele carro eu  olhei pela janela e como em um flash em câmera lenta eu vi nosso vizinho, um senhor com uma roupa xadrez e um chapéu velho mas com um sorriso no rosto um tanto quanto assustador mas adorável ao mesmo tempo, acho que ele havia colocado uma dentadura nova, acho que nunca saberei. Mas este senhor acenou para meu pai e meu pai acenou de volta para ele, mas havia algo de peculiar naquela casa que ainda eu havia de descobrir mais tarde.
 Minha mãe é a Sra Marta, uma mulher forte e atenciosa ao mesmo tempo, sempre deixou muitas vezes de se alimentar para me dar o que comer, não éramos a família mais bem vestida e eu não tinha tantos brinquedos, na verdade não tinha nenhum, só uma bússola e uma lupa que meu pai achava que havia perdido mas eu que tinha pegado para explorar a casa nova.
 Bom, meu pai finalmente chegou no trabalho e teve a reunião tão esperada para mudar de vida, ele tinha que acertar  pois já havíamos mudado de casa e não podíamos voltar a trás, mas eu era apenas uma criança e enquanto acontecia a reunião eu estava na escola.





A ESCOLA NOVA

  Pronto, primeiro dia de aula em uma escola nova, nem adianta pensar que vai ser como nos filmes, ninguém fez nada de mau contra mim, pelo não nos primeiros dias. Nunca fui o melhor aluno da sala e acho que também não seria ali que seria bom em alguma coisa que não fosse explorar, mas no primeiro dia de aula eu cheguei e fui apresentado para sala e me sentei em minha carteira normalmente, lembro que ao meu lado havia dois garotos a minha direita, o Angelo e o Matheus, eles eram tão grudados e tão amigos um do outro que eles até nasceram na mesma maternidade no mesmo dia, são uma figura, atrás de mim sentava uma garota asiática muito tímida e na minha frente uma garota chamada Naesa, essa no primeiro dia me embrulhou o estomago mas não sei o motivo, tive que lavar minhas mãos umas quatro vezes de tanto suor que estava nelas, acho que era a tal da puberdade, mal sabia eu o que me esperava no futuro.  Os professores dessa escola são legais , nenhum queria tirar vantagem de nada ou forçar algum aluno de qualquer maneira para aprender sua matéria, bem já eram 09:50 e eu esperava ansiosamente para tocar o sinal para conhecer o pátio da escola, queria logo explorar lugares novos onde talvez eu acha-se algum esconderijo onde eu pudesse ficar sem ninguém me perturbar.
 Logo o sinal tocou e peguei minha bússola e minha lupa e saí disfarçadamente para ninguém perceber o que eu estava ali há fazer , mas toda vez que eu dava um passo eu escutava seis passos destrambelhados atrás então disfarcei e voltei para a sala, fiquei com medo de alguém me seguindo. Finalmente chegou a grande hora de ir embora, minha mãe me esperava do lado de fora para irmos embora. Então do nada Angelo e Matheus vieram correndo até mim e disseram: “Até amanha , vamos tentar achar ouro que tal? “ ...
 Eu fiquei sem reação, um pouco com medo, talvez achado um tanto estranho, eu ainda não havia falado com eles, e que história foi aquela de procurar ouro? Mas não me preocupei tanto, queria logo chegar em casa para ir explorar , pois a casa é nova e o quintal não foi revirado ainda e havia muito a fazer.

Hora do Jantar
 Estava eu e minha mãe arrumando a mesa para o jantar e a esperar meu pai chegar, minha mãe estava um tanto ansiosa e preocupada, então terminamos de colocar a mesa e sentamos e do nada papai chega tira o casaco e pendura ele , seu olhar triste e desesperador já dizia tudo, percebi pois minha mãe já também havia percebia e colocava as mãos na cabeça, eu percebia cada movimento da face deles em câmera lenta, minha mãe abraçou meu pai com os olhos cheios de lágrima de tristeza. Quando der repente...(continua
)